Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.

CASOS DE SUCESSO

A UTILIZAÇÃO DE ENSAIOS ECOTOXICOLÓGICOS COMO FORMA DE AUXILIAR NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL DE SEDIMENTOS MARINHOS

Estudos de longo tempo de ecossistemas têm sido utilizados em diversos ramos da ecologia (Jassby & Powell, 1990) e tem fornecido informações valiosas sobre a flutuação natural de espécies e comunidades (Clark, 2001). Atualmente estudos de monitoramento ambiental são utilizados como as principais fontes de dados históricos sobre comunidades bióticas, porém estes dados, com frequência, não são analisados de forma integrada e estudos deste porte tendem a se tornar grandes levantamentos de dados.

De forma a avaliar uma possível otimização destes monitoramentos, este trabalho teve como objetivo principal analisar a relação entre a comunidade zoobentônica de substrato inconsolidado de áreas costeiras com os resultados dos ensaios ecotoxicológicos crônicos utilizando o copépoda bentônico Nitokra sp.

Este estudo foi realizado na região costeira da plataforma continental interna adjacente à Praia Mole ? Espírito Santo, e faz parte dos resultados do monitoramento marinho desta região, que é utilizado para avaliar os possíveis impactos ambientais de uma empresa do ramo da siderurgia. Foram analisadas a relação entre o resultado da taxa de eclosão de ovos nos ensaios ecotoxicológicoscrônicos em sedimentos; a densidade de organismos bentônicos e os fatores abióticos (oxigênio dissolvido, potencial hidrogenionico (pH) e salinidade) nos períodos de outono e primavera do ano de 2013. Utilizou-se análise de variância para identificar a existência de diferenças significativas entre os dados, para isso os valores de densidade da comunidade bentônica foram logaritimizados na potência 10. Após a análise dos resultados que apresentaram diferença significativa, foram reavaliados utilizando o Test t. Além disso, realizou-se uma análise de correspondência canônica com o objetivo de avaliar a relação entre os fatores físicos e químicos e a densidade dos organismos.

Os resultados demonstraram que não houve diferenças significativas (p>0,05) entre a densidade de bentos nas amostras e a densidade de copépodes nos resultados ecotoxicológicos crônicos, quando comparados entre as estações amostrais, sendo, portanto observada uma flutuação semelhante entre a densidade de organismos bentônicos e dos copépode. Entretanto observou-se diferença significativa (p<0,05) entre a densidade zoobentônica quando relacionada com o período sazonal, o que não foi observado com relação à densidade de copépodos nos resultados ecotoxicológicos. Foi observado também que para os fatores abióticos, a análise de correspondência canônica demonstrou que a distribuição dos organismos bentônicos e dos cópepodes estava relacionada à quantidade de oxigênio dissolvido nas amostradas ?in situ?.

A partir deste resultado verificou-se uma possível relação entre a flutuação da comunidade zoobentônica ao longo das estações de monitoramento e a reprodução do copépoda Nitokra sp. em laboratório, o que indica o potencial de substituição das análises quantitativas de zoobentos pelo ensaio ecotoxicológico utilizado no contexto da avaliação da qualidade ambiental do sedimento marinho. Porém análises da comunidade bentônica são essenciais em monitoramentos e desta forma, este tipo de avaliação pode ser utilizada para realizar uma pré-análise da área a ser monitorada e identificar os pontos mais sensíveis ou impactadas no ambiente costeiro, servindo como um direcionamento para a identificação dos principais pontos a serem monitorados. Por fim, recomenda-se que sejam realizadas análises em maior escala de tempo para avaliar possíveis variações das comunidades zoobentônicas e identificar peculiaridades do ambiente.