Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.

CASOS DE SUCESSO

AVALIAÇÃO QUIMICA DA QUALIDADE DO SEDIMENTO DE UM ESTALEIRO

Avaliação química da qualidade do sedimento em uma área sobre influênciada da disposição do material dragado para implantação do Estaleiro Jurong Aracruz


A implantação do Estaleiro Jurong Aracruz requereu a realização de dragagem de aprofundamento na região da bacia de evolução e canal de acesso, O monitoramento da atividade é necessário já que os sedimentos constituem o principal destino para os contaminantes, os quais passam a atuar como fonte secundária de contaminação para o ambiente aquático via remobilização. O presente estudo teve como objetivo avaliar temporalmente a concentração de metais na área de descarte e foi realizado a partir da execução do programa de monitoramento da qualidade de sedimentos, apresentado pelo empreendedor, em atendimento a condicionante ambiental da licença de dragagem.


O Estaleiro Jurong Aracruz está localizado em Barra do Sahy, no município de Aracurz/ES e atua na fabricação de embarcações e estruturas básicas das plataformas de petróleo para atender a demanda de exploração na camada pré-sal. Para a caracterização química do sedimento foram realizadas 8 campanhas, sendo a primeira antes do início das atividades de dragagem, a segunda campanha 15 dias após início das atividades e as demais trimestralmente, a contar da realização da segunda campanha de monitoramento. Os pontos amostrais localizam-se na área de descarte e região adjacente, sendo posicionados pontos de controle na área de Refúgio da Vida Silvestre (REVIS) Santa Cruz e a na Área de Proteção Ambiental Costa das Algas. As amostras foram coletadas com um amostrador busca-fundo do tipo Petersen, colocadas em caixas de aço inox, homogeneizadas, acondicionadas em recipientes apropriados e mantidas a 4º C. Posteriormente, foram encaminhadas ao laboratório para análises granulométricas e químicas de: arsênio, bário, cádmio, chumbo, mercúrio, níquel, zinco, alumínio, cromo, manganês e cobre. Os métodos analíticos foram baseados no SMEWW 22a ed., 2012?, Smartchem-Method, USEPA 3015A e os resultados foram comparados com os limites estabelecidos pela Resolução CONAMA 454/2012 para amostras de sedimentos em águas salinas.

Dentre as oito campanhas realizadas observou-se que o único elemento que apresentou concentrações acima dos níveis 1 e 2 estabelecidos pela Resolução CONAMA 454/2012 para águas salinas/salobras foi o semi-metal arsênio, apresentando concentração em potencial para causar efeitos adversos sobre a biota aquática, variando de 0,93 mg/Kg a 153,38 mg/kg. Concentrações elevadas de arsênio podem estar relacionadas com atividades de mineração de ferro (CHILVERS e PETERSON, 1987 apud ALZIEU, 2005), porém, estudos realizados em praias localizadas ao norte e ao sul do Espírito Santo, demonstraram que o arsênio ocorre naturalmente em níveis mais elevados na costa capixaba em relação a outras regiões (TRAVASSOS et al., 2010), o que provavelmente contribuiu para os valores detectados no presente estudo. Segundo Mirlean et al. (2011) a formação rochosa do grupo Barreiras é a fonte mais provável do arsênio presente na região. Seu enriquecimento elevado é documentado por Mirlean et al. (2012), em estudo que atribui as concentrações anormais do elemento na região (valores de até 134 mg/kg de arsênio) à erosão do grupo Barreiras e ao desenvolvimento de recifes. Além disso, constatou- se que a variação do elemento é definida pela distribuição do material calcário biogênico, uma vez que este é responsável pela retenção do arsênio no pacote sedimentar.

Também foi possível observar que a partir da terceira campanha houve, no geral, redução dos valores dos metais analisados em relação as campanhas anteriores nos pontos pertencentes ao bota-fora, o que pode ser devido à dragagem de uma matriz sedimentar mais livre de metais, uma vez que o pacote sedimentar que possuía os metais associados teria sido dragado no início das atividades e depositados na área de descarte. Nos demais pontos, fora da área de descarte, os valores foram similares, inclusive nas áreas de proteção ambiental. Em relação a granulometria, nas três primeiras campanhas todos os pontos apresentaram um sedimento mais arenoso, apresentando uma variação de 46,24% a 98,99% de areia e a partir da quarta campanha houve uma mudança, na qual os pontos passaram a apresentar uma granulometria mais fina, com uma variação de 1,81 % a 72,1% de areia, e essa tendência nas demais campanhas continuou nos três pontos do bota-fora.

A avaliação da concentração de metais na área de descarte mostrou que dentre os onze metais e semi-metal analisados apenas o arsênio foi registrado em valores superiores aos níveis estabelecidos na Resolução CONAMA 454/2012, entretanto, estudos mostram que esse metal na região norte do Espírito Santo possui fontes naturais advindas da Formação Barreiras. Além disso, a partir da terceira campanha os valores de todos os metais analisados diminuíram nos pontos pertencentes ao bota-fora, em relação as campanhas anteriores, indicando que o sedimento ali depositado possui uma matriz sedimentar mais livre de metais em relação ao baseline inicial.