Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.

CASOS DE SUCESSO

METODOLOGIA PARA MONITORAMENTO ATIVO DE BIOACUMULAÇÃO DE CONTAMINANTES EM ÁGUAS TROPICAIS RASAS COM ATIVIDADES DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

Na Bacia de Potiguar, localizada no estado do Rio Grande do Norte, a Petrobras possui plataformas de exploração e produção (E&P) de petróleo em terra e no mar. A água de produção é enviada ao continente para tratamento físico-químico e, em seguida, retorna ao oceano através de um emissário submarino, localizado a 7 km da costa de Guamaré-RN, numa vazão de 95 mil m3dia-1.

O efluente final tratado apresenta elementos traço e HPAs (Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos), e por esta razão o seu potencial de bioacumulação na biota deve ser avaliado. Entre os anos de 2004 e 2008, a Petrobras realizou experimentos de bioacumulação em campo, não obtendo resultados satisfatórios. O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da nova metodologia de monitoramento ativo das atividades de E&P para a Bacia Potiguar.

Um total de seis campanhas amostrais in situ foi realizado entre os anos de 2009 e 2012, quando foi possível testar diferentes metodologias de monitoramento. Foi realizado o levantamento das espécies de moluscos bivalves da região e definição de qual espécie atendia aos pré-requisitos para ser considerada um bom bioindicador. Os pontos amostrais foram definidos baseados em estudos de diluição da pluma do efluente, e também foi avaliada a curva de tempo de exposição - assimilação de contaminantes no período compreendido entre zero a 56 dias. O levantamento de riscos potenciais à integridade dos sistemas de monitoramento ativo através da análise de dados climáticos, oceanográficos e entrevistas com pescadores também foi realizado.

A espécie Crassostrea brasiliana foi escolhida para ser a espécie bioindicadora. Foram definidas sete estações amostrais, sendo uma controle (cultivo orgânico de onde originaram todas as ostras usadas no estudo), duas referência, e quatro pontos na região de dispersão da pluma do efluente da Petrobras. O tempo de exposição necessário ao alcance do estado estacionário de bioacumulação para todos os contaminantes avaliados foi de 56 dias de exposição. O maior risco potencial à integridade dos sistemas de monitoramento ativo foi o furto, que foi reduzido com a introdução da vigília e bóias submersas. Foram testadas duas diferentes profundidades do posicionamento dos sistemas de monitoramento ativo, mostrando que a avaliação sub superficial é suficiente para este tipo de estudo. A técnica do transplante de moluscos a partir de um cultivo orgânico se revelou a mais indicada para este estudo.

O presente estudo demonstrou a viabilidade de implementar o monitoramento ativo de efluentes das atividades de E&P em áreas costeiras rasas.