Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.

CASOS DE SUCESSO

AVALIAÇÃO DO EFEITO DA CONDUTIVIDADE NO TRATAMENTO BIOLÓGICO DE UM EFLUENTE DE FÁBRICA DE CELULOSE

Efluentes de celulose são caracterizados pela presença de uma grande complexidade de compostos químicos, dentre os quais podem acarretar em efeitos maléficos aos microrganismos responsáveis pelo tratamento biológico do efluente. Dentre as características dos efluentes de celulose, já se sabe que a presença de toxidade no mesmo pode ocasionar perturbações na performance do tratamento do efluente em função da mudança na composição do efluente, podendo resultar em significantes reduções na população de bactérias e protozoários ou inibir um processo metabólico.

A presença de toxicidade no efluente avaliado neste estudo foi identificada de forma indireta por meio de medições de condutividade, sabendo-se que valores elevados de condutividade no efluente alteram o transporte de espécies químicas entre o meio e o interior da célula microbiana, provocando mudanças no metabolismo e efeitos inibitórios (DAN et al., 2003).

Durante os meses de Setembro e Outubro para complementar a avaliação microscópica do lodo biológico também foram analisados os principais parâmetros físico-químicos do efluente que interferem no desenvolvimento da microbiota. O aumento da condutividade no efluente não tratado pode ter impactado tanto no desenvolvimento das bactérias quanto dos protozoários e metazoários, uma vez que os demais parâmetros físico-químicos encontravam-se dentro de suas respectivas faixas consideradas adequadas ao tratamento biológico do efluente. O aumento da condutividade também pode ter originado efeitos negativos ao desempenho da ETE, uma vez que foram observados redução da eficiência de remoção de DBO e aumento de sólidos sedimentáveis e sólidos suspensos totais no efluente tratado.