Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
20 jan 2016

Quanto menos água, mais poluição

Instituto APLYSIA traz um dos maiores especialistas em proteção à água para debater a qualidade dos recursos hídricos em tempos de crise e escassez.

Milhões de poluentes são lançados todos os dias nos rios e lagos no mundo. São efluentes industriais, pesticidas, remédios, drogas, cosméticos, esgoto que aumentam junto com o crescimento da população e do consumo. Mas até que ponto a diluição desses produtos na água é suficiente para evitar sérias consequências para saúde dos corpos hídricos e da própria humanidade? E o que acontece quando o volume da água que recebe toda essa carga diminui significativamente?

É para falar sobre essas questões que o Instituto APLYSIA promove, no dia 1 de fevereiro, um evento que contará com um dos mais respeitados nomes no mundo em gestão de proteção à água. O professor doutor Damià Barceló, presidente do conselho científico e tecnológico do Programa Conjunto da União Europeia, que trata dos desafios dos recursos hídricos, ministrará duas palestras: "Gerenciando os efeitos de poluentes no ecossistema aquático no cenário de escassez de água: o exemplo europeu" e "Riscos de pesticidas, fármacos, drogas e cosméticos em rios".

O evento será realizado no auditório da Rede Gazeta, de 9h a 12h, e conta com o apoio de vários parceiros como a Rede Gazeta, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia (Ecotox), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos/Iema/AGERH, a Cesan, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), o CNPQ e o Instituto de Avaliação Ambiental e Estudos Hídricos IDAEA-CSIC (Barcelona, Espanha).

De acordo com a presidente do Instituto APLYSIA, Tatiana Furley, o objetivo do evento é iniciar o debate sobre a qualidade da água em um cenário cada vez mais crítico de escassez hídrica. "A ideia é plantar uma semente para chamar a atenção para o tema, unir profissionais e estudiosos da área na discussão e trazer a experiência de especialistas que já avançaram na questão, como o professor Barceló, que tem trabalhos com resultados importantes em seis países europeu".

Serviço

Data: 1 de fevereiro de 2016 (segunda-feira)

InÍcio: 9 horas

Local: Auditório da Rede Gazeta (R. Chafic Murad, 902 - Bento Ferreira - Vitória/ES)

OBS: Aberto ao público. Entrada gratuita

Programação

9h - Abertura

9h30 - Palestra 1 - Gerenciando os efeitos de poluentes no ecossistema aquático no cenário de escassez de água: o exemplo europeu.

10h30- Coffe break

10h45 - Palestra 2 - Riscos de pesticidas, fármacos, drogas e cosméticos em rios

12h - Encerramento

Damià Barceló

Professor e pesquisador do Instituto de Avaliação Ambiental e Estudos Hídricos IDAEA-CSIC (Barcelona, Espanha) desde 1999 e também diretor do Instituto Catalão de Pesquisas Aquáticas (ICRA) (Girona, Espanha) desde maio de 2008. Sua principal linha de pesquisa refere-se ao destino e risco dos poluentes emergentes (como fármacos e nanomateriais) sobre o ambiente e o controle e proteção da poluição aquática em situações de escassez. Sua proficiência é documentada pelo elevado número de publicações originais (> 750) e pela supervisão de 40 teses de PhD. Em 2007 recebeu o prêmio King James I de Proteção Ambiental. Em 2012 recebeu o prêmio internacional Prince Sultan Bin Abdulaziz na categoria gestão e proteção da água. Em 2012 também recebeu o prêmio internacional Recipharm Environmental Prize por seu trabalho com poluentes emergentes e compostos farmacêuticos que afetam o meio ambiente. Desde 2011 é presidente do conselho científico e tecnológico do Programa Conjunto da União Europeia que trata dos desafios dos recursos hídricos em um mundo em transformações. Em 2014 foi distinguido como doutor Honoris Causa pela Universidade de Ioannina (Grécia).