Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
26 fev 2016

Restauro Fluvial: Visita de campo ao Projeto ReNaturalize

Nesta quinta-feira, dia 25, foi realizada uma visita a campo para apresentar mais sobre o projeto ReNaturalize, localizado no Rio Mangaraí, município de Santa Leopoldina. O projeto, que teve início em Novembro 2014, é uma iniciativa de inovação da APLYSIA, em restauração fluvial. Neste projeto, são utilizados conjuntos de técnicas britânicas de restauração fluvial, onde troncos de madeira são instalados na calha do rio como forma de recuperação. O projeto busca o restabelecimento de sistemas hidrológicos e geomorfológicos variados e dinâmicos que suportem ambientes aquáticos saudáveis e biodiversos de maneira natural e sustentável.

Durante o dia no Rio Mangaraí, os participantes tiveram uma experiência dentro do rio no trecho restaurado. Integraram o grupo Luciano Firme- CESAN, Professor Antônio Sérgio Mendonça- UFES, Aladim Cerqueira- Secretário de Meio Ambiente de Aracruz, Cezar Junior- Comunidade Quilombola do Retiro, Dra. Tatiana Furley, Carolina Pinto e Reinaldo Baldotto- APLYSIA.

O objetivo da visita a campo foi dar aos participantes a experiência de como funciona o projeto de restauração fluvial na prática e como este tipo de projeto ajuda a melhorar o habitat do rio para beneficiar a vida selvagem e das comunidades no entorno.

Na primeira parte do circuito, visitamos o trecho do rio onde ocorreu a instalação de 16 estruturas de madeira utilizadas na recuperação do manancial. Abordamos questões como os benefícios para a qualidade da água e para a biota aquática, principalmente para o aumento da riqueza de peixes no local restaurado. Outra questão abordada durante o percurso foi a importância da restauração para a comunidade local e o benefício social e cultural agregado ao projeto.

A segunda parte do circuito foi realizada a jusante, onde mais cinco estruturas de madeira foram instaladas na calha do rio. Incluindo a estrutura denominada ?Dente de Dragão?, que tem como principal objetivo a retenção de sólidos suspensos, diminuindo a turbidez da água e a mitigação da erosão através do crescimento de macrófitas em cima da estrutura.

Estamos organizando atualmente mais visitas para 2016, que serão anunciadas aqui, ou através do nosso Facebook. Nos acompanhe e fique por dentro dos avanços do projeto.

Por Carolina Pinto. Mestre em Hidrologia e Pesquisadora da APLYSIA.