Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
09 mar 2016

Bióloga do ES integra equipe mundial para estudar esgoto

Uma bióloga do Espírito Santo está entre os 40 pesquisadores do mundo que foram convidados pelo Instituto de Ciências Ambientais e da Saúde, dos Estados Unidos, para discutir o impacto do esgoto no meio ambiente. Tatiana Furley voltou de Paris nesta terça-feira (8), onde se reuniu com os profissionais para conversar sobre o tema.

A pesquisa desenvolvida a partir dos estudos vai ser em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) e o Instituto Aplysia, que não tem fins lucrativos.

Um alerta dado pela pesquisadora foi sobre a importância de fazer a ligação à rede de esgoto. Tatiana disse que esse é o modelo adotado nos países com as melhores condições de rio e de água para consumo.

?Tem que se ligar na rede, tem que ter a consciência do que a gente está fazendo no ambiente. Coliforme ainda é um pedacinho do que a gente está lançando, que agride muito rapidamente. E todo o resto? Temos que pensar nisso?, falou.

Os pesquisadores querem unir conhecimento para rever o estado atual mundial da avaliação da toxidade dos resíduos que vêm de processos industriais, querem aumentar a consciência do papel dessas pesquisas na proteção dos recursos ambientais e identificar oportunidades para reduzir o impacto de esgotos no ambiente.

Depois que a pesquisa for finalizada, vai ser elaborado um projeto, que vai ser usado pelo poder público. ?Uma questão que pode ser discutida é o esgoto de hospital. Não é possível tratar tudo, porque há grande concentração de químicos, como antibiótico e repelente?, explicou.

Veja a reportagem em G1 ES - Rede Gazeta

Fonte: matéria publicada em G1 - Rede Gazeta, 09 de Março de 2016.