Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
17 jun 2016

APLYSIA promove seminário sobre Prevenção, Medição e Restauração dos Impactos do rompimento de barragens de rejeito de mineração

A APLYSIA, em parceria com o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) e a ArcelorMittal, promove no próximo dia 6 de julho, o seminário "Gestão dos Riscos e Impactos de Barragens de Rejeitos de Mineração: cases Obed e Mount Polley".

O evento contará com a presença internacional de Kari McDonald, diretora global de Meio Ambiente e Assuntos Regulatórios da Westmoreland Coal e responsável pela gestão de 18 minas canadenses ? entre elas a de Obed, cuja barragem se rompeu em 2013 e contaminantes puderam ser observados até 1100 km à jusante da mina.

O objetivo do seminário, além de discutir o tema, é compartilhar a experiência da comitiva da APLYSIA que viajou ao Canadá para conhecer de perto os resultados e consequências do rompimento de duas barragens de rejeitos.

"O recente desastre no Rio Doce, em Mariana (MG), chamou a atenção para este risco. Mas diariamente ocorrem outros eventos em menor escala. No Brasil, existem quase 400 barragens. Quais são os possíveis impactos para os recursos hídricos e para a indústria? É isso que queremos debater", explica Tatiana Furley, diretora da APLYSIA e uma das 40 pesquisadoras do mundo convidadas pelo Instituto de Ciências Ambientais e Saúde, dos Estados Unidos, para discutir e avaliar a toxidade dos resíduos de processos industriais e seu impacto no meio ambiente.

Além de Tatiana, também formaram a comitiva e estarão presentes no evento Fernando Aquinoga, ecólogo e coordenador técnico da Aplysia; e Luis Felipe Hax Niencheski, oceanógrafo e professor da Universidade Federal de Rio Grande (FURG).

Interessados em participar podem se inscrever até o dia 29 de junho. As vagas são limitadas. Mais informações, acesse: www.aplysia.com.br/seminario