Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
09 out 2017

Os floculantes e coagulantes utilizados no processo produtivo agregam risco químico ao seu negócio?

Os impactos na biota aquática do corpo receptor podem ser minimizados ou prevenidos avaliando o próprio processo produtivo.

Uma importante avaliação é a do processo de coagulação e floculação, onde são utilizados produtos para a remoção de material particulado da água, sendo que algumas das substâncias empregadas, ou suas frações residuais, em determinadas concentrações, podem causar efeitos adversos à biota aquática.

Dentre os coagulantes e floculantes existentes destacam-se os polieletrólitos e coagulantes inorgânicos convencionais como sais de ferro e alumínio. Estes produtos possuem suas respectivas fichas de informação de segurança (FISPQs), que evidenciam que, em determinadas concentrações, podem ocasionar efeitos agudos aos organismos aquáticos, mas não costumam informar sobre eventuais efeitos crônicos associados ao seu uso continuado. O uso combinado desses produtos também geram cenários de risco que devem ser avaliados.

 

A APLYSIA tem experiência em avaliar a curva de sensibilidade do uso combinado de floculantes e coagulantes, respondendo o impacto destes produtos na qualidade do seu efluente.